Resenhas de Livros

Resenha do livro A Esperança – Suzanne Collins

28 de novembro de 2011


Livro: A Esperança
Autor(a): Suzanne Collins
Número de páginas: 421
Editora: Rocco

O distrito 12 não existe mais. Em seu lugar há apenas cinzas. Destruição. Tristeza. Katniss é levada ao distrito 13 – que existe no subsolo sem o conhecimento de outros distritos devido a um acordo feito com A Capital – após o fim desastroso do Massacre Quaternário. Entretanto, o distrito 13 vive em um rígido sistema comandado pela presidenta Alma Coin – que não mede esforços para conquistar o que deseja. Katniss perde Peeta – preso pela Capital – e percebe que é a única que pode assumir o papel de Tordo – símbolo da revolução. Mas Katniss será capaz de enfrentar o sistema sabendo que Peeta sofrerá as consequências de cada atitude sua?

Desde o livro Em Chamas, quando o Presidente Snow ameaçou Katniss caso os distritos resolvessem começar levantes, percebe-se que A Capital também possui fraquezas. Isso decorre do fato de que cada distrito é especializado em algo e todos produzem em função de sustentar os habitantes da Capital. Com os levantes, haveria escassez de inúmeros recursos e o sistema entraria em colapso. É com base nisso que os revolucionários do distrito 13 decidem começar os levantes com a união de todos os distritos – deixando A Capital por último.

Além de todo o cenário de guerra e tragédias, há os conflitos amorosos vividos pela protagonista. Katniss sente a falta de Peeta e ao mesmo tempo não quer ficar sem Gale. Ela sabe que cedo ou tarde terá que fazer sua escolha. Mas como escolher se ela não faz ideia do que sente por ambos? Ao assumir o papel de Tordo, todas as pessoas que são importantes para Katniss estarão correndo perigo. A única coisa que Katniss tem certeza é que protegerá todos que ama, mesmo que isso custe a sua própria vida.

Suzanne Collins mais uma vez me fez enlouquecer. Em Jogos Vorazes você é levado aos cruéis jogos criados pela Capital. Em Em Chamas o sistema político, corrupto e opressor é revelado. O quão longe o ser humano pode ir em função do poder. Em A Esperança é visível a dificuldade que existe em derrubar um sistema opressor. Como a vida é desperdiçada, tornando-se algo sem valor diante da sociedade.

Achei incrível o modo como a autora descreveu o cenário de guerra, apesar dela não ter tido dó de nenhuma personagem. No capítulo 16, é citado um ditado que creio que todo mundo conheça: Panem et Circenses – Pão e Circo. Quem acompanha o site, sabe que eu já escrevi/postei um texto que citava esse ditado. Para quem não sabe, ele diz que a sociedade precisa de pão e circo para se manter estável. Relacionando esse ditado ao livro, nota-se que o pão é o excesso de comida que existe na Capital e o circo, os jogos vorazes.

Creio que não possa desabafar sobre o quão incrível é o desfecho da história sem soltar algum spoiler. “A Esperança” é o tipo de livro que te surpreende do começo ao fim. Quando você acha que tem certeza de algo, ocorre uma tragédia e tudo muda. A narrativa faz com que você sinta todos os sentimentos da protagonista. Que você sofra do mesmo modo que as personagens sofrem.

Resumindo, a trilogia escrita por Suzanne Collins é de longe uma história água-com-açúcar e sim uma forte crítica a sociedade, em que o sistema – por mais que seja cruel – nunca terá fim. Sempre existirá aquele que quer comandar e os que devem obedecer. Enquanto não houver compaixão no ser humano, a sociedade está fadada ao fracasso.

Resenha escrita por Bianca Branco – hellostar.org ©

Adquira o livro: Submarino

You Might Also Like

2 Comentários

  • Reply Mari 29 de novembro de 2011 às 17:53

    Esses livros com certeza estão na minha lista de “quero ler”. =o Mas ainda não tive oportunidade de pegar em algum deles. :tongue:
    :*

  • Reply Elizabeth 13 de junho de 2012 às 23:17

    já li,já li,já li,…é show,é show,é show. :hehe: :inlove:

  • Deixe um comentário