Livro: Pandemônio
Autora: Lauren Oliver
Número de páginas: 304
Editora: Intrínseca – Ano de lançamento: 2013

Dividida entre o passado — Alex, a luta pela sobrevivência na Selva — e o presente, no qual crescem as sementes de uma violenta revolução, Lena Haloway terá que lutar contra um sistema cada vez mais repressor sem, porém, se transformar em um zumbi: modo como os Inválidos se referem aos curados. Não importa o quanto o governo tema as emoções, as faíscas da revolta pouco a pouco incendeiam a sociedade, vindas de todos os lugares, inclusive de dentro.

AVISO: Pandemônio é o segundo livro de uma série escrita por Lauren Oliver que está sendo lançada no Brasil pela Editora Intrínseca. Caso você ainda não tenha lido o primeiro livro – Delírio – poderá encontrar spoilers da primeira trama nesta resenha.

A trama começa do mesmo ponto em que o primeiro livro terminou, deixando a dúvida sobre a fuga de Lena e se ela conseguiu cruzar a fronteira para a Selva. Alex fez de tudo para ajudá-la, mas acabou sendo o sacrifício necessário para a liberdade de sua amada. Diante de uma fuga mal sucedida, Lena está confusa e com o coração partido por perder o único homem que amou. Agora ela terá que enfrentar a Selva e não sabe se encontrará forças para lutar pela sua vida. Não quando perdeu a razão de sua existência.

Quando a protagonista perde todas as esperanças, acaba sendo encontrada por Graúna e vai para um abrigo dos Inválidos no meio da Selva. A recuperação de Lena não será apenas do seu corpo, mas – principalmente – da sua alma e do seu coração. O processo será lento, mas agora ela encontrou um motivo para lutar, fazendo com que o sacrifício de Alex seja valorizado.

A trama é dividida em duas partes. Uma delas é o “Antes”, em que todos os capítulos descrevem o processo de recuperação de Lena desde o momento em que chegou ao abrigo dos Inválidos. A luta para se adaptar dentro de um ambiente cheio de miséria, mas que evidenciava a importância do amor em qualquer tipo de relação. Ela entendeu que precisava lutar para libertar outras pessoas das regras de uma sociedade que acreditava em tudo que os poderosos falavam. Uma aventura ainda mais perigosa está por vir…

A segunda parte é intitulada “Agora”, e descreve a situação atual da protagonista que está infiltrada em uma associação de Nova York conhecida como ASD (América Sem Deliria) que é liderada por Thomas Fineman. O principal objetivo da associação é reduzir a idade da intervenção para que os riscos do contágio do deliria fiquem menores. A missão de Lena, por outro lado, é tentar se aproximar de Julian Fineman, filho do líder do movimento.

Entretanto, durante uma das manifestações da América Sem Deliria, Lena acaba sendo sequestrada junto com Julian por Saqueadores – grupo de inválidos que são conhecidos por serem cruéis – e terá de enfrentar novos desafios para salvar a vida de ambos. O que ela não esperava é que fosse ser surpreendida pelo destino ao encontrar uma pessoa do seu passado.

Lauren Oliver conseguiu me surpreender em diversos aspectos e superou minhas expectativas em relação à trama. Além de novos personagens que possuem características marcantes, é possível compreender diversos aspectos da protagonista, que consegue ser irritante durante grande parte do livro.

Admito que senti muita falta de Alex ao longo da leitura, principalmente por ele ser um dos meus personagens favoritos. Creio que a autora quis compensar a ausência dele ao inserir Julian como um dos protagonistas que seria a nova aposta para a cura do coração de Lena. Apesar de possuir características clichês, ele é extremamente importante para os acontecimentos e conseguiu conquistar o seu espaço na trama ao longo dos capítulos.

O que me deixou no abismo do desespero foi a última frase do livro. Fiquei encarando a página e imaginando se seria capaz de sobreviver até o lançamento do próximo volume da série. Decepção, com certeza, é uma palavra que você não encontrará ao longo da leitura.

Resenha escrita por Bianca Branco – hellostar.org ©